• Você está em:
Wevet | Conexão com o mundo animal

Nossa melhor escolha – 1 ano de AN e muitos felizes!

Se você é “cachorreiro” como eu, já deve ter ouvido o termo “AN” em algum lugar. Não? Então vamos lá! Mas antes, eu gostaria de me apresentar e contar uma breve história de como tudo começou...

Sou Maila, uma tradutora apaixonada por animais e mãe/tutora do Tommy, um maltês de 3 anos. Uau...já se passaram 3 anos! Parece que foi ontem que eu e meu marido nos pegamos buscando informações na internet sobre quais seriam nossas opções. Antes mesmo de o Tommy chegar em casa já tivemos muitas preocupações acerca do fato de termos e cuidarmos de um cachorro morando em um apartamento e, detalhe, bem pequeno (mas isso é história pra outra oportunidade)!

Com a chegada do pequeno, muita coisa mudou e muitas adaptações foram feitas na casa para o bem-estar dele. E, entre elas, a escolha da melhor alimentação foi um dos principais fatores que nos levaram a conhecer o termo “AN”. Como toda mãe, busquei me munir do máximo de informações que poderia ter acesso para proporcionar o melhor para uma vidinha que escolhi cuidar. 

Até os 7/8 meses de vida Tommy comeu ração. Aquele “alimento” ensacado que encontramos facilmente em qualquer supermercado e pet shops e com longa data de validade. Daí em diante, eu comecei a me sentir muito incomodada em oferecer esse tipo de alimento para meu cão. Passei a fazer várias pesquisas na internet a respeito da composição das rações e conversar com outros tutores a respeito de uma opção saudável e biologicamente adequada à fisiologia predominantemente carnívora dos cães. E foi aí que conheci o termo alimentação natural (AN), nossa melhor escolha de vida! 

Depois de muita pesquisa e ponderação, cheguei à conclusão que Tommy passaria a comer uma alimentação preparada por mim, com amor e carinho, e com ingredientes escolhidos de acordo com sua necessidade biológica. Então, entramos em contato com a Dra. Fabíola Monteiro, médica veterinária – nutrição funcional, que passou a nos orientar e acompanhar nessa nova caminhada. Fizemos todos os exames necessários para ver como estava a saúde do pequeno e, com base nesses exames, a Dra. Fabíola nos passou a dieta preparada exclusivamente para o Tommy, de acordo com as necessidades/gastos calóricos dele, peso, entre outros. E aproveito para frisar a importância de um profissional competente para orientar e acompanhar seu peludinho em todo esse processo. 

Não entrarei em detalhes a respeito dos tipos de dietas naturais neste momento, mas a escolha inicial que fizemos foi a dieta crua com ossos. A adaptação/transição levou 8 dias e não poderia ter sido mais tranquila. Tommy, que sempre adorou brócolis, cenoura, alface e outros (mesmo quando comia somente ração), se adaptou sem problema algum. Carne bovina, suína, aves, peixes, frutas, vegetais, caldos, ossos, complementos naturais e extremamente saudáveis...uma infinidade de informações que só vieram a somar.

No começo, no primeiro mês, tive muitas dúvidas e medos, mas hoje, 1 ano depois, vejo o quanto crescemos juntos e o quanto aprendi a respeito das necessidades reais de um cão. Não somente no que diz respeito à alimentação, mas às necessidades mentais, físicas e ambientais...daycare (creche), produtos naturais, petiscos e repelentes também naturais, acupuntura, etc. 

Atualmente preparo a alimentação dele a cada 21 dias. Faço a rotação dos ingredientes, peso e separo em porções diárias. Nosso freezer, desde então, é basicamente dele (rs). 

Você deve estar se perguntando, mas e os custos? Bom, isso tudo depende. Depende se você vai usar ingredientes normais, orgânicos, depende de quantos cães você tem, qual o porte do(s) seu(s) cão(ães), da região em que você mora, se você mesmo quer preparar as refeições, se você quer comprar ela pronta (de uma empresa confiável, claro), são muitas variáveis! E sim, tem como você passar o cardápio do seu cãozinho para uma empresa que faz isso pra você. Felizmente, o mercado pet (saudável) tem crescido muito e há opções de fato confiáveis.

Eu opto por eu mesma preparar e nos finais de semana, quando tenho mais tempo. Levo cerca de 3 horas para preparar as refeições para 21/24 dias. E, sobre os custos, considerando que Tommy é de porte pequeno, o investimento mensal (sim, é um investimento na saúde dele, possíveis economias com consultas veterinárias, medicamentos...né?) é praticamente o mesmo que a quantidade que ele consumia de ração. “Vale cada minuto e centavo gastos!”

Hoje temos outra visão do mundo canino! Seguimos aprendendo, buscando cada vez mais e compartilhando tudo aquilo que aprendemos e que possa fazer bem para os peludinhos. 

Pesquise, busque informações, converse com tutores que já são adeptos à AN e invista na saúde e bem-estar do seu cão. Não se contente com opiniões do tipo “cachorro não pode comer comida!”, “tal ração é ideal para seu cão”... Há muitos veterinários/nutricionistas profissionais para te ajudar e orientar. Inclusive, uma curiosidade, esse profissional não precisa ser da sua cidade. Essa consultoria e orientação podem ser on-line (que é o nosso caso). 

Eles nos proporcionam tanto...amor, aprendizado, companheirismo; retribua com o seu melhor. Ensine, eles são extremamente sensíveis e inteligentes, tenha paciência, se permita sentir tudo isso deles! É a melhor experiência que já tive! 

Abraços e “lambeijos”!

Maila e Tommy

Matéria por

Subir